domingo, 17 de março de 2013

Buzludja

É interessante poder perceber o que acontece quando algo não é mais do interesse do homem, quando cai no esquecimento e torna-se refém da ação (cruel?) do tempo, da natureza e de outros homens com intenções bem menos nobres que a de seus criadores. É antagônico e não menos intrigante a reação que a matéria construída tem, quando abandonada, em relação à natureza. Como a primeira se subjuga a segunda, outrora imponente, simbolo da ideia de um poder, uma maneira de pensar, dominar e atrair mais poder, hoje submissa, definha e lamenta, lenta e silenciosamente a glória dos dias passados. 
Assim se encontra Buzludja, monumento de maior representação ideológica da Bulgária, que foi construído em em homenagem ao Movimento Socialista Búlgaro, no ano de 1891, com projeto assinado pelo arquiteto Guéorguy Stoilov. Sua construção foi financiada por fundos do governo e por ativistas participantes do movimento, além da contribuição de muitos artistas, pintores e escultores. Com a queda do então presidente  Todor Givkov e de substanciais mudanças no sistema de governo do país, a partir de 1989, o Buzludja foi abandonado e sofre crescente deterioração. Saqueadores sistematicamente vem roubando ornamentos em cobre e quebrando janelas e mosaicos, no que vai piorando gradativamente seu estado de conservação. Não há atualmente nenhuma instituição pública interessada na renovação e preservação do monumento, nem mesmo o Partido Socialista Búlgaro se compromete com qualquer ação de preservação do seu símbolo mais importante.













Pensando em termos ideológicos, não parece menos importante, como a maneira de se pensar coletivamente mudou não apenas a maneira como vivemos, mas também como construímos nossos símbolos de poder. 
E é uma pena e uma perda significativa certos tipos de omissão como este, onde um patrimônio arquitetônico, dada a sua importância histórica e simbólica, isto sem contar a herança construtiva, vai se perdendo na ação do tempo, por razões que parecem ser quase obscuras.

Para mais informações, história, fatos e fotos, aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário