sexta-feira, 13 de julho de 2012

Atelier 2 - a cara da residência

 





Essa semana eu vi esta casa e me lembrei do meu atelier 2. Na matéria aprendíamos a projetar residências. A minha foi bem controversa na época por sinal, pois eu tinha proposto um retângulo totalmente na fechado nas laterais, com abertura apenas na frente e no fundo. em uma das paredes cegas que dava para a rua principal, tinha apenas uma porta e uma marquise curva, vermelha inclusive. 
Meu projeto não foi aceito. Minha professora na época disse que aquilo 'não parecia uma casa', para se parecer com uma residência, eram preciso muitas janelas, recortes e telhado cerâmico de águas muito bem elaboradas. Infeliz, refiz o projeto conforme a batuta do então atelier, minha professora ficou satisfeitíssima, tanto que depois disso me rendeu inclusive um estágio, curto, mas válido.
Depois desse atelier eu nunca mais fui plenamente feliz...

Projeto para uma família em Sarginesco, Itália, do escritório Studio Associato Archiplan. Mais, aqui.

segunda-feira, 2 de julho de 2012

4 anos!!!

Hoje percebi que esse blog fez 4 anos de existência muito mal aproveitadas... não ia fazer menção do acontecimento, mas ando bastante reflexiva quanto a minha trajetória, para variar...
Me veio na mente aquela música, que só o google pra me dizer que era do Raul Seixas, "sonho que se sonha só, é só um sonho que se sonha só". Devo dizer que é nisso que tem se resumido minha vida ao longo desses 4 anos, me atrevo a pensar que ao longo da minha jornada na arquitetura. Mal compreendida? Talvez... talvez também me falte mais determinação, mais força de vontade pra poder tornar realidade as coisas que sonho, ainda que sozinha...
Não vou me delongar muito, pois não tenho muito mais a dizer... e então é isso, lá se foram 4 anos. E vamos seguindo...


ps.: como já é costume, dei uma mudada no visual pra ver se melhora o astral. A experiência já comprovou que não, mas não custa nada tentar, de novo...

domingo, 15 de abril de 2012

arquitetura - vivendo e aprendendo


Hoje fui visitar mais um projetinho meu que está sendo executado. E, a medida que ia vendo a obra, ia também mentalizando as coisas que preciso melhorar em mim. Os últimos acontecimentos da minha vida me fizeram perceber que é preciso ter disciplina, humildade e determinação pra conseguir alguma coisa na vida, e infelizmente, no atual momento eu não possuo nenhuma dessas três qualidades, uma pena, porém um estado momentâneo. Percebi que há uma longa estrada a ser percorrida ainda e que apesar de até achar que sei alguma coisa, no fundo no fundo, isso não é nada. Mas voltando a obra e as lições arquitetônicas de hoje, a primeira e que eu já tinha percebido isso desde a reforma da churrasqueira de um casal amigo meu que:
1. Acompanhar todas as fases da obra.
Minha gente, como é fundamental o acompanhamento de obra. Tenho aprendido que projeto não é somente aqueles desenhos bem legais que a gente entrega impresso numas folhinhas de papel , e deixa o cliente ao deus dará, a merce da própria sorte e boa vontade de terceiros. Porque não adianta o projeto estar lindo no papel e no arquivo no meu computador, se o pedreiro não entender e achar de executar a obra do jeito que ele acha que tem que ser. É preciso sentar com o cara pra explicar o projeto antes de fazer o orçamento de obra, explicar novamente quando começar a obra, aparecer por lá, como quem não quer nada, pelo menos uma vez na semana, e quando der por encerrado, fazer uma vistoria pra ver se está tudo dentro dos conformes. É preciso fornecer o suporte logístico da coisa toda. E em falar em suporte, e eu peco muito nisso, não dá pra projetar algo e não fazer a mínima noção de quanto o meu projeto vai custar pro cliente, de onde ele vai conseguir comprar o executar tudo o que eu especifiquei. O orçamento dos materiais e serviços, os profissionais que deverão ser contratados, a assistência a esses profissionais, a assistência ao cliente, tudo isso é tão fundamental quanto os desenhos que representam a ideia do projeto. Essa é a minha primeira grande e dura lição prática da vida profissional. A outra coisa é:
2. Fazer sempre o projeto completo, o mais próximo do real possível.
Até outro dia eu ficava criticando uma das minhas chefas que fazia questão de que a gente desenhasse até o padrão do papal de parede a ser aplicado na parede. Sempre achei uma verdadeira perda de tempo e de material humano, com coisas que são "supérfluas"  à compreensão do projeto. Hoje eu vi como ser fiel até nos detalhes faz toda a diferença. Por exemplo, é costume a gente sempre colocar o padrão da hachura certinho, no caso específico desta obra, a cerâmica deverá ser assentada na diagonal pois as paredes não estão no esquadro. Explicando isso para a miga amiga, ela disse que até entendia, mas ela achava que seria assentado reto, pois no desenho estava representado daquele jeito. Poderia dormir sem essa fácil fácil. E sim, os bons exemplos são para serem seguidos. Lá no trabalho, aliás em quase todos os que já passei, a gente separa o projeto em etapas, obra, interiores, e dentro desses cada correspondente, tipo, dentro de obra, tem alvenaria, elétrica, hidráulica, etc. e assim por diante, com as vistinhas todas, as especificações todas ali, tudo explicadinho pra não ter sombra de dúvida. Porque com um projeto incompleto, fica até difícil cobrar que o coitado do pedreiro entenda e faça as coisas exatamente do jeito que foi planejado. Essa também é uma lição fundamental para obter êxito no projeto, na convivência com o cliente, e até na carreira. E por fim a última lição de hoje é:
3. Registrar o dia a dia da obra.
O que inclusive eu nem fiz hoje. Aliás nunca faço, e se fizesse, com certeza não estaria fazendo parte desta lista macabra. É tão importante ter a evolução da obra, o registro do que era, do que foi feito, pois depois até pra mostrar ao cliente, como a vida dele mudou depois que contratou um serviço de arquitetura (hahaha). Na verdade isso é muito mais uma questão de organização e método de trabalho de uma maneira geral, do que realmente um fim em si mesmo. mas aí é isso, o importante é que a gente vai vivendo e aprendendo. Então vamos que vamos e que venham os próximos!!!
Sim, só pra reforçar, se for reformar, construir ou ampliar, procure um profissional especializado, contrate um arquiteto! É mais barato que você possa imaginar, e tenha certeza, a dor de cabeça com todos os estresses que envolvem uma obra, minimiza consideravelmente, acredite.

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

referências pontes II








Ponte sobre Ribeira da Carpinteira, em Covilhã, Portugal. Projeto de João Luis Carrilho da Graça, concluído em 2009. Mais informações aqui.

referências pontes I







Ponte sobre o canal Reno-Herne, em Oberhausen, Alemanha. Projeto do artista Tobias Rehberger, de 2011. Mais informações aqui.

caminhos da arquitetura II


Então, voltando com tudo para as atividades! Tô com muita coisa arquivada pra poder postar aqui, mas uma coisa de cada vez pra eu não desistir novamente... e por falar em desistir, estava lendo agora pouco uma matéria muito interessante do Rosenbaum, que além de me encher de esperança me fez refletir sobre algumas questões minhas sobre a prática geral da arquitetura nesse nosso mercado tão cruel e ordinário, mas também, cheio de perspectivas e oportunidades - pra quem souber aproveitá-las, é claro!
Engraçado como é muito mais fácil acreditar que o caminho de algumas pessoas sempre foi mais fácil e gratificante do que outras. Lendo sobre a trajetória de vida do Marcelo, que hoje está aí de vento em polpa, descobri muitos per causos em seu caminho que o transformaram no que conhecemos hoje. Todos os fracassos, as dificuldades, as portas  fechadas, as boas oportunidades aproveitadas, criaram o repertório que conhecemos, claro que somados a uma grande determinação e profundo senso de consciência com o próximo. Bom, sem mais delongas, vale a pena ler a entrevista inteira. Eu vou continuar por aqui refletindo sobre o meu percurso de vida e esperando as boas noticias e as boas oportunidades chegarem novamente. Por enquanto é só, nesta ilustre quarta-feira, 29/02, que só se repetirá novamente daqui a 4 anos...

domingo, 26 de fevereiro de 2012

caminhos da arquitetura I

Então... acho que não fui muito justa no meu último post, acho inclusive que não tenho sido muito justa comigo mesma ao longo dos últimos tempos. 
Tenho aprendido empiricamente que somos o produto das nossas escolhas, e envergonhadamente confesso que não fiz boas escolhas na minha vida. Mas, como me disse um amigo esta semana - nunca é tarde pra ser aquilo que você deveria ser
Verdade e fato que não soube conduzir bem a minha jornada nos rumos da arquitetura, mas nem por isso, tudo está perdido. Nem por isso eu preciso desistir de tudo e tentar ser alguém que eu não sou, e fazer algo que não gosto, ou até mesmo achar que não gosto de fazer algo que de fato eu gosto. 
Eu sou arquiteta! E como o Francisco Sá falou no discurso de formatura de uma grande amiga, arquitetos, assim como os médicos, nascem arquitetos, e isso não foi diferente comigo. 
Me machuquei muito nas escolhas erradas da vida, mas ainda estou viva e os erros são tão válidos quanto os acertos, e mais do que isso, servem principalmente para o amadurecimento, para o crescimento e a experiência. "a tribulação produz a paciência. E a paciência a experiência, e a experiência a esperança." Rom.5:3,4. 
Daí, depois de passar um bom tempo pensando sobre os rumos que tomariam a minha vida, decidi começar de novo, como o vaso de barro que se desfaz na mão do oleiro, ele aproveita o mesmo barro e torna a fazer novamente aquilo que havia se desfeito em suas mãos. Recomeçar o caminho da arquitetura, não como da primeira vez, mas por novos trajetos, ainda não me são muito claros e específicos esses trajetos, porém vejo com bastante esperança esse novo começo, e como gosto e costumo sempre dizer, recomeçar é sempre bom e necessário! 
Então aqui estamos nós, eu, esse blog guerreiro que não perdeu sua essência, a nova jornada que se inicia e muito estudo! Espero também voltar a escrever mais, a refletir mais, a produzir mais e com qualidade, se bem que tudo isso faz parte do processo, e enfim, o desafio está posto. Sorte a mim e a quem mais quiser e se interessar por essa nova e desafiadora jornada! 

Feliz recomeço!

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

2 anos

Essa semana completei 2 anos de formatura. Não está sendo fácil, e a grande luta agora é para não desistir de tudo... então, por enquanto é isso...